Select your Language

sábado, 23 de setembro de 2017

Scorpions Brazil no Madison Square Garden!



No dia 14 de Setembro, em Reading, na Pensilvânia, Scorpions iniciaram sua turnê Crazy World Tour com o Megadeth pela América do Norte. Nós estivemos no segundo show da turnê, realizado em Nova Iorque, na casa de shows mais famosa do mundo: Madison Square Gardem. É desse show que vamos falar!

Há 33 anos, eles pisavam naquele mesmo palco pela Love At First Sting Tour, era previsto para ser um álbum ao vivo, mas em 1985 lançaram o World Wide Live, Com os Deluxe álbuns de 2015, essa gravação viu a luz do dia e saiu como CD Bônus do Love at First Sting.


Nessa Crazy World Tour 2017 pela América do Norte, Megadeth abre os shows, por volta de 40 minutos, mesclando seus clássicos e o ultimo álbum “Dystopia”, com o brasileiro Kiko Loureiro na guitarra. A casa não estava ainda cheia, o público não enfrentava longas filas, mas grande parte deixou para entrar na atração principal. Scorpions sobe no palco com Going Out With A Bang e uma nova abertura em vídeo, temática da turnê atual, no imenso telão de led. Segue então com a tradicional Make it Real e a bandeira do país em que o show acontece no fundo. Os norte-americanos vibram quando veem a bandeira dos Estados Unidos - aquele patriotismo que já era esperado. Klaus saúda a plateia dizendo que é ótimo voltar a América e ao Madison Square Garden. Após a apresentação, parte da 42th Street e The Zoo!

O Setlist foi quase idêntico ao tocado no Brasil no ano passado, a saída de Dynamite é a única alteração. Eles tocam Coast To Coast como de costume e, ao finalizar, para passar ao Medley dos anos 70, Klaus relembra as viagens de carro pelas Autobahns em que conversava com Rudolf e diziam que um dia estariam na América, “às vezes sonhos se tornam realidade, certo?” diz ele pouco antes de Top Of The Bill.



Não era possível contar mais do que 20 espaços vazios durante o show, o que já é considerado como Sold-Out (quando o show já está lotado e todos os ingressos foram vendidos). Outra curiosidade é que o formato não contemplava pistas, apenas cadeiras em todo o espaço, mas durante todo o show a casa toda não se sentou nem por um minuto. A parte acústica, mais adiante, conta com um grande globo espelhado, que com canhões apontados para ele, começa a girar e dar um efeito espetacular no Madison Square Garden. Logo depois é a vez de Wind of Change, Klaus diz: “Vivemos em um Crazy World nesses dias, vocês concordam? Vocês concordam que precisamos de outro Wind of Change para já?” Com o apoio quase completo da plateia.




Os fãs vão a loucura com a homenagem a Lemmy em Overkill (tocada pela primeira vez em São Paulo no ano passado) e cantam junto até o fim. Blackout também é um dos pontos altos do show, totalmente enérgica, a plateia balança junto com a banda e acompanha extasiada o grito de “blackout! I really had a blackout!”. Big City Nights encerra o show para o inicio do encore com No One Like You, faixa adorada e já certa nos palcos dos Estados Unidos. É possível ouvir esses clássicos ao caminhar pelas ruas de Nova Iorque sempre, comum que você esteja passando e aquele som familiar te surpreender em lojas e saguões de hotel.

Overkill
Antes de Still Loving You e Rock You Like a Hurricane, Klaus apresenta um modelo de ajuda com doações às vitimas do recente furacão que atingiu a América Central, o Texas e a Florida. Por meio de uma mensagem de texto, doações de 25 dólares são enviadas a organização Hand in Hand. Foi uma noite memorável a volta de Scorpions ao The Garden depois de tantos anos: a banda curtiu o momento junto com os fãs presentes, mostraram força, animo e muita energia! Agora, ficamos na expectativa de vê-los aqui no ano que vem.




Setlist:

1. Going Out With A Bang
2. Make it Real
3. The Zoo
4. Coast to Coast
5. 70's Medley (Top of the Bill / Steamrock Fever / Speedy's Coming / Catch Your Train)
6. We Built This House
7. Delicate Dance
8. Acoustic Medley (Always Somewhere / Eye Of The Storm / Send Me An Angel)
9. Wind Of Change
10. Rock 'n' Roll Band
11. Overkill (Motorhead cover)
12. Mikkey Dee Drum Solo
13. Blackout
14. Big City Nights

-----

Encore

15. No One Like You
16. Still Loving You

17. Rock You Like A Hurricane

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Rudolf Schenker sobre James Kottak: "Você não pode contar com alguém que não é estável"

Em uma nova entrevista com "Rock Talk With Mitch Lafon", Rudolf Schenker falou sobre a inclusão do ex baterista do Motörhead ao Scorpions. Em setembro do ano passado, o musico sueco foi nomeado como uma substituição permanente do baterista James Kottak, que foi dispensado da banda durante sua batalha contra o alcolismo.

“Eu estou muito triste sobre James [Que não mais está no Scorpions],” disse o guitarrista. “Eu sempre pensei que ele fosse ficar até o fim conosco. Mas de alguma forma, envolvendo uma esposa e todas essas coisas que, digamos, estavam o atingindo, ele realmente mudou. E nós demos a ele muitas possibilidades. Nós pagamos por seu tratamento de reabilitação e nós realmente tentamos fazer as coisas acontecerem, mas então, de alguma forma, quando Mikkey Dee veio e percebemos que talvez as viagens, indo de Los Angeles parara a Europa com tanta frequência, seja talvez um fato de que ele não ficaria estável. Estando na primeira classe ou na classe econômica, viajando da América para a Europa, há tudo lá para você fazer uma verdadeira festa. Mas de alguma forma tentamos colocar James nos caminho certo, e nós estávamos esperando pelos últimos três anos, na verdade, desde o MTV Unplugged, pelo menos. E nós não pudemos mudar isso. Para agendar uma turnê e então viajar ao redor do mundo e organizar tudo, a equipe, você realmente não pode contar com alguém que não é estável. Então, nesse caso, quando Lemmy morreu – ele sempre foi um grande fã de Scorpions, e nós éramos grande fãs de Motörhead – de alguma forma o destino estava chamando. Porque até então não tínhamos certeza. O que fazemos? Quando formos para a América, será que podemos contar com James? Então falamos ao James: “James, fique um pouco mais na reabilitação” e então o Mikkey veio, e de alguma forma foi algo que... ele ficou realmente tão feliz em vir para o Scorpions, porque ele sabe de dentro do Motörhead como Lemmy falava sobre Scorpions. E o Mikkey era, na verdade, também um fã do Scorpions. Foi como “Love at first Sting”, amor à primeira vista. Nós tocamos, nós ensaiamos e as coisas se encaixaram.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Mensagem de aniversário para Rudolf Schenker


O Aniversário de Rudolf Schenker está chegando (31/08) e vamos fazer um vídeo composto por fotos de fãs desejando feliz aniversário a ele. Que tal fazer parte?

Para participar, você deverá enviar uma foto sua (no formato JPG, paisagem, horizontal) com uma mensagem curta (máximo de 60 caracteres) numa placa que você esteja segurando, ou na própria imagem, ou desenho de sua própria autoria, desejando feliz aniversário (em inglês ou alemão) ao nosso querido guitarrista.

Faremos a edição juntando as fotos em um vídeo para mandar para ele.

Não perca tempo! Envie a foto para o e-mail scorpionsbrazil.net@gmail.com com tiítulo "Aniversário do Rudolf", contendo os seguintes dados:

  • Nome
  • Cidade/estado/país
  • Idade.

Data limite para o envio das fotos: até as 23:59 do dia 25/08/2017

Fotos de extrema baixa qualidade e com mensagens em português ou qualquer outra língua que não sejam inglês ou alemão serão descartadas.

Não serão aceitos videos, apenas fotos. O vídeo de aniversário será composto por fotos. 

Ao enviar o email com seus dados e fotos você autoriza a exibição de sua imagem no nosso canal de youtube, facebook, instagram e outras mídias sociais.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Rudolf Schenker critica o muro de Trump

Ao contrário do ex-baterista do Scorpions, James Kottak, que declaradamente apoia o presidente dos EUA Donald Trump e suas medidas separatistas, o guitarrista Rudolf Schenker criticou o plano de Trump de construir um muro entre os Estados Unidos e o México, afirmando que “Construir barreiras não é a resposta.”
Um dos pilares da campanha de Trump em 2016, a eficácia do muro tem sido questionada por muitos, com alguns descrevendo isso como  “limitado ao máximo” e "impraticável”. Grupos de advocacia da imigração argumentam que isso não impediria a passagem de imigrantes ilegais.
Trump prometeu que quem acabará pagando pela construção do muro será o México, que deve custar em torno de 21 bilhões de dólares, ainda que o país afirme que não irá pagar.
Como alemão, Schenker viu como o muro de Berlim – que separava a Alemanha Ocidental e Alemanha oriental tanto fisicamente quanto politicamente -  teve muitas consequências duradouras através de divisão de famílias, amigos, cultura e nação.
Questionado pelo Loudwire sobre um conselho para quem apoia a construção do muro entre USA e México, Rudolf respondeu: “Eu te digo uma coisa: como nós aprendemos, construir barreiras não é a resposta. Esse não é o caminho. Eu acho que isso seria talvez um monumento, mas eu penso que, cedo ou tarde, o muro irá ruir porque muros nunca duram muito tempo. Tá, nós temos a grande Muralha da China até hoje, mas isso é mais uma atração turística do que um muro separando pessoas de todas as outras. Nesse caso, o que eu posso dizer? Eu não sou um político, mas eu fico muito triste quando vejo coisas como essa porque é retrocesso. Algumas pessoas derrubam barreiras e outras constroem de novo. É estúpido, mas é a forma como a vida se move, às vezes.”
No mês passado, a “House of Representative” arrecadou 1,6 bilhões de dólares para construir o muro, uma fração do custo estimado do projeto.  
Rudolf não é o primeiro músico do rock a falar em público contra a proposta de muro do Trump. Em março, o baterista do Metallica, Lars Ulrich, disse que ao programa mexicando Las Estrellas: “Eu não acho que o mundo precise de qualquer muro. Eu acho que precisamos unir as pessoas.” Ele continuou: “Metallica viaja pelo mundo todo, e através da música nós tentamos unir as pessoas. Então estejamos nós no México, na Ásia, na Europa ou onde quer que seja, nós encorajamos o máximo de pessoas diferentes, dos mais diferentes lugares, a se unirem e compartilharem música, vida, cultura e todas essas experiências.”

Fonte: Blabbermouth

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Vídeo de aniversário para Klaus Meine

O aniversário de Klaus Meine está chegando (25/05), que tal fazer um vídeo dando os parabéns para a voz do rock?

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Promoção You Kick Ass!


Promoção You Kick Ass! Você e um amigo podem ganhar baquetas autografadas por James Kottak!

Para participar é só curtir o Scorpions Brazil e a Scorpions News no facebook, compartilhar publicamente a imagem da promoção no Facebook, marcando um amigo (para concorrer junto), no campo de comentários do post original e ao compartilhar a imagem.
Siga as instruções acima e boa sorte!

O sorteio será realizado no dia 12 de março de 2017.

Aqueles que não cumprirem totalmente o regulamento abaixo serão automaticamente desclassificados! Fique atento.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Novo álbum em 2018


Em nossa mais recente entrevista com Matthias Jabs, ele afirmou que o Scorpions ainda não tem planos para gravar um novo álbum. Entretanto, em entrevista à coletiva de imprensa no Hall of Heavy Metal History, Mikkey Dee, o novo baterista da banda, afirmou que neste ano a banda precisa de um tempo de descanso, mas que em 2018 vem mais um álbum fresquinho, seguido de mais uma mega turnê. Ótima notícia, não?

Fonte: Site Metal Talk

Scorpions induzido ao Hall of Heavy Metal History 2017 em Las Vegas


Na última quarta feira, 18 de janeiro, o Scorpions foi induzido ao Hall of Heavy Metal History, em Los Angeles. Quem aceitou a indução em nome da banda foi o novo baterista do Scorpions Mikkey Dee (ex-Motörhead). 

O evento, que consagra lendários nomes do Heavy Metal, tem o objetivo de ajudar crianças na luta contra o câncer. O Hall of Heavy Metal History é é uma divisão da nossa organização sem fins lucrativos D.A.D. (Drums and Disabilities), (traduzindo: baterias e deficiências), por esse motivo a indução foi recebida pelo baterista da banda.

Youtube

Loading...