Select your Language

domingo, 15 de maio de 2016

Michael Schenker diz que não confia mais no irmão, Rudolf Schenker

Jimmy Kay e Alan Dixon, do programa canadense The Metal Voice, entrevistaram recentemente o lendário guitarrista alemão Michael Schenker (UFO, Scorpions).

Questionado se consideraria gravar com os Scorpions novamente, Michael disse:

Não. Não posso, pois estou muito decepcionado com Rudolf. O que descobri na bio de 'Lovedrive' (que está incluída no lançamento do recente álbum deluxe em comemoração do 50º aniversário) está completamente errado. Saí do UFO com 23 anos. Fiz 'Strangers In The Night', tínhamos hits nos anos 1976 com 'Lights Out' e 'Too Hot To Handle' e 'Only You Can Rock Me'. Os Scorpions sempre copiaram o que UFO fazia."

Quando Rudolf descobriu que saí do UFO e Matthias Jabs, que tinha acabado de se juntar à banda, não conseguia fazer o álbum como os Scorpions queriam, me pediram ajuda. E fui. Eu tinha 23 anos, Rudolf já tinha seus 30. E quando terminei meu trabalho no álbum 'Lovedrive', não quiseram me deixar ir embora, então se livraram do Matthias. Basicamente, me persuadiram a continuar nos Scorpions depois de gravar o 'Lovedrive' e todos os agenciadores na América tinham muito interesse em assinar contrato com os Scorpions. Coloquei minha roupa preto-e-branco, minha guitarra também preto-e-branca e começamos a turnê. Porém, depois de duas semanas, eu não conseguia mais. Fugi e fiquei com vergonha de confrontá-los. Meu irmão me encontrou, me chamou de volta, chorou pelo telefone e isso foi muito constrangedor. Voltei pela segunda vez, depois dessa segunda vez, percebi 'Não! Preciso acabar com isso!' e fugi outra vez. Pouco tempo depois, descobri que eles chamaram o Matthias de volta, o persuadiram para que voltasse, e foi isso. Então, recebo um telefonema do Rudolf me perguntando se eu o deixaria usar meu design preto-e-branco da guitarra. Eu disse 'Okay'. Ele também me perguntou se eu daria pra ele os créditos de composição de 'Coast To Coast'. Todas as melodias foram escritas por mim e eu nem prestei atenção. Eu era a sexta parte do álbum 'Lovedrive' e tinha um contrato de que tudo seria dividido por seis.”

Ele continua: “Quando eles me procuraram recentemente pelo relançamento do álbum na edição deluxe de 50º aniversário, descubro que o que colocaram na bio uma história completamente errada. Descobri que ninguém deu créditos ao que compus em 'Holiday'. É a intro de 'Holiday', de 45 segundos, intro que escrevi e ninguém recebeu crédito por isso. Rudolf então me pediu para dar a ele os créditos das melodias de 'Coast To Coast' e minha guitarra preto-e-branco. Esses eram as duas coisas mais deliciosas e fáceis de se copiar, já que Rudolf não é um bom guitarrista, ele apenas toca, mas isso era alguma coisa. Já que ele era um Schenker e agora também loiro, vários agenciadores queriam assinar contrato com os Scorpions que eu fazia parte. Acho que ele descobriu como desrepresentar e enganar pessoas com o decorrer dos anos, porque não percebi nada até esses dias. Descobri que não havia uma imagem minha no 'Lovedrive', nenhuma menção em 'Holiday', quem escreveu e tocou aquela intro e, claro, Rudolf me persuadiu a dá-lo os arranjos de 'Coast To Coast'. Então estou muito decepcionado com isso. E devo dizer que estou descobrindo mais e mais coisas estranhas sobre Rudolf.

Michael acrescenta: “Tenho que ficar longe dele e não confio mais nele. Ponto final.

Ainda nesse ano, Michael conversou com Gigs And Festivals sobre como era tocar nos primeiros anos dos Scorpions junto de seu irmão Rudolf. Ele disse: “Há coisas que eu sei hoje e digo que estou de fato muito decepcionado com meu irmão e os Scorpions ultimamente, pois descobri que muitas coisas ficaram incorretas no passado. Eu, sete anos mais jovem que os outros caras, penso que tiraram vantagem de direito desde o início.”

Ele continuou: “Eu escrevi a maioria das músicas no álbum 'Lonesome Crow' e foi creditado a todos os membros. A primeira música que escrevi na minha vida foi 'In Search Of The Peace Of Mind', que também foi creditada a todos os membros. Eu focava na música e eles, talvez, estivessem focando nos negócios. Eu não fazia ideia, mas eles não sabem como escrever músicas hoje em dia.”

Questionado se tinha planos de subir nos palcos com os Scorpions, antes que eles encerrem definitivamente as atividades, Michael disse: “Não ligo pra nada disso. Eu foco no que eu estou fazendo. Cansei disso. Estou decepcionado com eles, eles distorceram completamente a fase do 'Lovedrive'. Há algumas semanas, me deparei com o box de relançamento dos Scorpions e o que eu vi me chocou muito. Não consigo mais confiar neles. Toda a história do 'Lovedrive' está errada. Colocaram lá como se eu tivesse implorado para que me aceitassem nos Scorpions. Eles é que me imploraram para juntar-me a eles, eu já estava tendo os conflitos com UFO nos EUA. Inacreditável. Me pediram ajuda e agora vejo que toda a história do 'Lovedrive' foi escrita a favor deles, eles são os fodões.

Continua: “Não dá pra acreditar, honestamente. Eles enganam as pessoas anunciando o fim da banda, e então desanunciam e continuam a tocar pra sempre. Acho que quando se envelhece, você fica corajoso ou algo do tipo, mas eu tenho absolutamente nenhum interesse porque não confio neles. Se eu olhar pra trás agora, é inacreditável, cada coisinha que descubro. Tô juntando as peças do quebra-cabeças e tá se formando uma coisa absolutamente desesperada.

De acordo com Michael, a diferença entre ele e seu irmão é que “um toca – guitarra – e o outro não! [risos]. É como você pode descobrir quem é quem. Ou você olha nos olhos: os dele são castanhos, mas ele também pode falsificá-los usando lentes azuis. Rudolf é o entertainer ao nível visual, eu sou o artista

Fonte: Blabbermouth

Tradução: Osmar Fraga

Você pode ouvir a entrevista no vídeo abaixo, do YouTube.

Youtube

Loading...